Conexão Repórter deste domingo (29) mostra a maior tragédia ambiental do Brasil

Publicidade

0

Roberto Cabrini percorre os 800 km do Rio Doce para documentar cada detalhe do maior desastre ambiental da história do país e revela segredos impressionantes. Os personagens, o passo a passo, o rastro de destruição deixado pela imensa onda de lama da mineração. A onda avermelhada que carrega a morte. Um mundo de vida transformado em lama.

O drama da contagem regressiva e negligente para a matança da fauna, da flora, e de humanos. O lixo de uma indústria milionária, a barragem tida como infalível, o lucro tido como sustentável…

Veja também: União, Minas Gerais e Espírito Santo vão processar Samarco e Vale em R$ 20 bi

Vilarejos que desapareceram do mapa e lembranças de um paraíso convertido em inferno. Ela vem chegando… Não há como parar… Ruas, casas, igrejas, escolas, povoados, almas… O desespero de ter que escolher qual dos dois filhos deixar para trás.

Fotos, cadernos, desenhos, quadros… Nos objetos soterrados, recordações de vidas interrompidas precocemente. Tudo vai sendo reduzido ao mesmo tom, marrom vermelho. Águas límpidas tingidas, rios esterilizados, incapazes de acolher vertebrados, peixes, anfíbios. Seres vivos em esforços desesperados de sobrevivência. Um a um vão se rendendo. Até a conta chegar a toneladas.

Foto: Reprodução / SBT
Foto: Reprodução / SBT

Falta oxigênio onde nunca faltou. Inconformismo. Tentativas de explicação. Responsabilidades. Culpas. Gritos aqui e ali… Suspiros… E o silêncio sepulcral que predomina…

O Rio que era Doce” vai ao ar neste domingo, 29 de novembro, no “Conexão Repórter”, logo após o Programa Silvio Santos.

Compartilhar