Em entrevista, Madonna nega pertencer à ordem Illuminati

Publicidade

0
Publicidade

Após ter 13 demos inacabados do seu novo álbum vazados, Madonna classificou o ato como “uma forma de terrorismo” e “estupro artístico”. Ao ao jornal The Guardian, a cantora disse que ela estava “vivendo em um estado de terror” após o vazamento, acrescentando que havia “uma grande possibilidade” de ter que parar de usar o seu computador pessoal.

Além disso, depois de lançar uma canção chamada Illuminati no álbum Rebel Heart, Madonna teve que explicar que não pertence à organização secreta que, segundo teorias da conspiração divulgadas pela internet, teriam interesse em controlar o mundo, sobretudo com manipulações políticas, econômicas e culturais.

Em entrevista à revista Rolling Stone, a popstar disse: “As pessoas têm me acusado de ser integrante da ordem Illuminati, mas acontece que eu sei quem são os verdadeiros Illuminati e da onde esta palavra vem”. Mas, segundo ela, cientistas, filósofos e artista são quem verdadeiramente compõe a vanguarda contra ao período das trevas que antecedeu o Iluminismo, época que a sociedade secreta teria surgido.

Quem demonstrou interesse na ordem Illuminati foi a cantora Katy Perry, que no fim do ano passado afirmou ter interesse em pertencer ao grupo secreto, apesar de não acreditar na existência dele. “Parece loucura. Gente louca na internet que não tem nada para fazer e fica procurando triângulos estranhos no movimento das suas mãos. Acho que é um sinal de sucesso quando acham que você faz parte do Illuminati”, considerou.

O olho que tudo vê na nota de dólar americano.
O olho que tudo vê na nota de dólar americano.

Os Illuminati

Illuminati é a denominação de diversos grupos, alguns históricos outros modernos, reais ou fictícios. Mas comumente, contudo, o termo “Illuminati” tem sido empregado especificamente para referir-se aos Illuminati da Baviera, uma sociedade secreta da era do Iluminismo fundada em 1º de maio de 1776. Nos tempos modernos, também é usado para se referir a uma suposta organização conspiratória que controlaria os assuntos dos vários Estados secretamente, normalmente como versão moderna ou como continuação dos referidos Illuminati bávaros, como sinônimo e cérebro por trás dos acontecimentos que levarão ao estabelecimento de uma Nova Ordem Mundial, com os objetivos primários de unir o mundo sob uma espécie de tirania global.

O grupo sempre é alvo de polêmicas. Na nota de um dólar americano é possível ver a controversa pirâmide com o olho que tudo vê, onde as várias teorias conspiratórias tentam mostrar a veracidade do assunto, trazendo os EUA como o grande berço do grupo. O assunto foi tema de vários romances, entre eles “Anjos e Demônios”, de Dan Brown, onde mostra o suposto grupo dos Illuminati tentando destruir a Igreja Católica. O romance ainda revela que célebres cientistas fizeram parte da sociedade secreta, entre eles Isaac Newton, Albert Einstein e Leonardo da Vinci.

Publicidade
Compartilhar