Rei Davi, quinta-feira dia 17/12/2015: Davi fica furioso com Joabe e pede que Urias dê um sepultamento digno a Abner

Publicidade

0

Resumo da novela Rei Davi, quinta-feira dia 17/12/2015 – Capítulo 24

Davi fica furioso com Joabe e pede que Urias dê um sepultamento digno a Abner para que todos saibam que ele não participou do assassinato. Aitofel dá a notícia da morte de Abner. Esbaal não sabia da tal aliança e conclui que Abner o traiu. Rispa escuta sobre a morte de seu amado e fica arrasada. Paltiel diz que Abner teve o que merecia. Baaná e Recabe, homens de confiança de Abner, decidem seguir com o plano de matar Esbaal por Israel. Joabe deixa o acampamento convicto de que fez o certo, mas fica triste por ter agido sem a permissão de Davi. Rispa chora por Abner e conta a Judite, a viúva, que ele era seu grande amor. Em uma conversa com Davi, Mical defende Joabe. O hebreu está arrasado com a morte de Abner pela espada de seu grande amigo. Baaná e Recabe matam Esbaal covardemente enquanto dorme. Davi descobre que Abner estava agindo por conta própria e que o rei não sabia da aliança. Nesse momento os soldados que mataram Esbaal entram com um saco contendo a cabeça de Esbaal. Davi fica chocado. Bate-Seba reclama da falta de atenção de Urias. Davi, inconformado com o ato de Baaná e Recabe, os condena a morte. Aitofel diz que apesar do sangue derramado, o rei de Israel é aquele escolhido por Deus. Davi não se orgulha de tais atos e sai em silêncio de sua tenda. Davi pergunta a Deus até quando seu caminho será triste. Ele lembra que certa vez o profeta Samuel lhe disse que tudo faz parte da sua preparação para reinar em Israel. Neste momento Natã aparece a sua frente. Ele explica que foi enviado por Deus para substituir Samuel.

Davi volta com Natã para sua tenda. Ele fica surpreso ao ver o ancião líder de Judá. Natã se aproxima e coloca a coroa e o bracelete que foram de Saul e de Esbaal na cabeça e no braço de Davi, agora, rei de Israel. Davi prepara um ataque a Jebus, cidade situada no alto do monte Sião, região estratégica para a unificação das tribos de Israel. Davi pretende dominá-la e promete dar o comando de seu exército ao primeiro homem que conseguir entrar na cidade. Sem saber, Joabe rende os soldados assim que Davi invade a cidade. Aitofel ri e os dois se abraçam felizes pelo reencontro. Davi declara Jebus como nova capital do reino de Israel e muda o nome para Jerusalém. Os jebuseus começam a fugir e Davi ordena que seus homens abaixem as armas. Ele diz que todos são homens livres e bem-vindos. Todos se surpreendem e os moradores ficam mais calmos. Urias e Eliã apresentam a nova casa em Jerusalém para Laís e Bate-Seba. Aquis está furioso por Davi ter se tornado o rei de Israel e não tê-lo matado quando pôde.

Em pouco tempo, Davi transforma a cidade de Jerusalém no centro político e econômico de Israel, mas principalmente, em um local de adoração a Deus. Paltiel pede a Joabe para servir ao exército de Israel. A arca da Aliança entra em Jerusalém. O povo vibra e Davi dança em volta dela vestido somente com a estola sacerdotal. Mical observa com desprezo a festa do lado de fora. Natã diz para Davi não construir um templo para a Arca, pois não será ele que construirá Sua morada. O profeta diz que Davi já derramou muito sangue e que somente um filho, depois de sua morte, poderá construir o templo. Aitofel os interrompe e diz que os filisteus estão se preparando para atacar. Davi diz que vai consultar Deus para saber se pode enviar seu exército, mas no fundo prefere evitar o confronto com Aquis.

Compartilhar