Luca Entrevista Luca Moreira

“Amo fazer a Nadine”, diz Raquel Bertani para Luca Moreira

“Amo fazer a Nadine”, diz Raquel Bertani para Luca Moreira

Natural de Botucatu, a atriz Raquel Bertani de 28 anos, está em um grande momento de sua carreira: interpretar sua primeira vilã, a Nadina de “As Aventuras de Poliana”.

Há mais de 10 anos no mercado, foi escalada pela primeira vez aos 22 anos quando estreou na televisão na novela “Guerra dos Sexos” em 2012, onde contracenou com os atores Reynaldo Gianecchini, Carlos Alberto Riccelli e Gloria Pires.

Antes das artes cênicas, Raquel trabalhou como modelo, fazendo um grande sucesso tanto no Brasil como no exterior. Mudou-se  para a capital São Paulo aos 15 anos, já com uma carreira consolidada, e chegou a viver em países como Chile,  Japão e Alemanha.

Quando foi o seu primeiro contato com a atuação?
O meu primeiro contato foi com uns 12 anos no interior. Apresentei a peça “A Galinha Ruiva” na escola. Foi aí que percebi que gostava muito de teatro. Então, fui fazer um curso no Artistas S.A. em Botucatu e nos apresentamos no teatro da cidade.

Como está sendo a experiência de interpretar Nadine em “As Aventuras de Poliana”?
Amo fazer a Nadine por dois motivos. Primeiro, porque adoro fazer parte do projeto em si, que leva tantos valores legais para as crianças e adolescentes e também pelos atores e equipe tão especiais e talentosos com quem trabalho. Aprendo muito! E segundo porque é um papel muito desafiador. Apesar da Nadine, assim como eu, ser uma mulher empoderada e que sabe o que quer, tem alguns valores muito diferentes dos meus.

Fale-nos sobre sua experiência nos bastidores com o elenco?
Fiz amigos. Impressionante como tivemos uma sintonia desde o início e, conseguimos trazer isso para as telinhas a cada cena. Nos divertimos dentro e fora das gravações.

Antes de entrar para o SBT, você já teve outras experiências em novelas da Globo, como foi o caso de “Guerra dos Sexos”, onde passou por cenas fortes contracenando com o ator Reynaldo Gianecchini. Como era o processo de ter que estudar essas cenas?
Foi minha primeira novela e já comecei gravando as cenas da ilha com o Gianecchini. Mas como já tinha tido experiência com o teatro, o que foi novo foi realmente a câmera em si. Contei muito com a ajuda do diretor Jorge Fernando e também dos atores que contracenei. Com a Mariana Ximenes, por exemplo, aprendi como se posicionar diante da câmera. Com Irene Ravache, como tornar as marcas (entra por aquela porta, fala esta frase aqui, sai por ali), que os diretores criam, orgânicas. E por aí vai. Tive aulas diárias com atores e diretores durante este período, aprendi muito.

Como é trabalhar com Reynaldo Boury?
Boury é uma lenda viva da TV brasileira, é uma honra e um prazer poder trabalhar com ele. É um diretor que tem um enorme conhecimento e experiência, estuda realmente as cenas e sabe dirigir atores, o que é raro nos dias de hoje.

Dando vida a sua primeira vilã nas telinhas, como foi sua preparação para encarar esse novo tipo de personagem?

Como a Nadine é programadora de games, dei uma boa pesquisada neste universo e busquei referências do meio através do YouTube. Assisti a muitos filmes que mostram mulheres empoderadas, já que ela é muito bem resolvida. E claro, assisti e li muitas vilãs, para entender onde a Nadine mais se encaixaria.

Quais são seus planos para depois da novela?
Quero fazer cinema! Nunca fiz e tenho muita vontade. E tenho planos de voltar aos palcos, teatro é minha paixão.

Como foi apresentar o programa “Pijama Party” da Disney?
Foi a primeira vez que tive contato com o público infantil, que é muito atencioso e espontâneo. Não podíamos perder as “pérolas” que os “pijameiros” (como chamávamos os participantes) soltavam, então era praticamente um programa ao vivo. A energia sempre lá em cima e muita concentração. Só parávamos para a equipe montar e desmontar os jogos. Mas, mais do que qualquer coisa, foi emocionante, pois muitas crianças sonhavam em ir pra Disney, o olho brilhava quando chegavam no estúdio, afinal, poderiam conquistar isso ali, na nossa frente. Tínhamos que saber lidar com realizações e frustrações muito rapidamente.

Deixe uma mensagem.

Uma coisa que eu aprendi é que nessa vida precisamos ser persistentes naquilo que queremos. Já trabalho como atriz há 10 anos e existem momentos de altos e baixos, muitos nãos. Mas pense que a cada não que você recebe, você se aproxima do sim. Por isso, nunca desista dos seus sonhos. Lute pelo que você acredita, dedicando-se e estudando, que um dia você conquista.

Sobre o autor | Website

Luca Rocha Moreira, nascido na manhã de 14 de maio, 1998 na cidade de Niterói, filho de Lucia Maria Rocha e Luiz Carlos Falcão Moreira, um designer gráfico que morreu em 2012 vítima de câncer de pulmão. Em 2008, ele foi morar com sua mãe e seu padrasto, o veterinário Vladimir Fernandes, que já era pai de seu irmão Eduardo Rocha, e que alguns anos depois adotou sua irmã mais nova, Camila, em Macapá. Além desses dois, Luca também é irmão de Leonardo e Alexandre Tristão. Seu avô materno era comissário de bordo da Varig, falida em 2006. Iniciou o ensino médio na Escola Técnica Estadual Henrique Lage, onde cursou o técnico integrado em engenharia naval. Em 2015, Moreira começou a fazer um curso de formação de atores profissionais, fazendo testes em aula como ''Navalha na Carne'' do autor Plínio Marcos. Mas depois de cinco meses de treinamento, ele começou a ter problemas com sua classe, pois incomodou seus colegas por não serem tão fáceis de incorporar seus personagens na primeira vez, o que o deprimiu. Ele teve aulas com o professor e ator profissional Alécio Abdon, que participou de algumas novelas da Rede Globo. Sua base de estudos foi através do dramaturgo russo Constantin Stanislavski. Atualmente estudando jornalismo na Universidade Estácio de Sá, iniciou seus estudos acadêmicos em março de 2018, antigamente no curso de publicidade, mais no segundo período, decidiu se mudar para o jornalismo, analisando contato e sua facilidade na área. Lá ele também participou de projetos estudantis, como ter entrado como editor do principal jornal interno da faculdade, ''O Estaciente''. Ali publicou vários artigos que escreveu, como os de Rodrigo Tardelli e Babi Xavier. Em seu tempo no jornal interno da universidade, ele teve a oportunidade de experimentar outros assuntos fora do mundo artístico e celebridades, como as eleições presidenciais no Brasil em 2018, onde ele foi responsável por escrever sobre os quatro candidatos que lideravam a presidência: Jair Bolsonaro, Marina Silva, Geraldo Alckmin e Ciro Gomes. Em março de 2016, Luca foi descoberto em sua página no Facebook, no qual veio a mudar de assunto várias vezes, escrevendo assuntos como esportes, nutrição e por fim, sobre cultura, por esse assunto, Moreira foi descoberto por uma produtora de teatro profissional localizada na Barra da Tijuca, onde foi convidado para fazer seu primeiro estágio, ainda cursando o ensino médio. Seis meses depois, fez um acordo para divulgar o filme ''O Grande Circo Místico'', dirigido pelo premiado diretor Cacá Diegues, que por causa de um problema, o fez renunciar a sua posição. Naquela época, Luca conhecia seus primeiros contatos com o meio profissional, como a atriz Rayssa Bratillieri, que mais tarde fez a personagem Pérola Mantovani em “Malhação – Vidas Brasileiras”. Primo dos atores Giulliana Succine e Miguel Rivas, sempre ajudou Giulliana com sua assessoria, que em dezembro de 2017, se juntou a Esdras Ribeiro, que na época possuía um conjunto de sites, onde ele começou a escrever seus primeiros assuntos como colunista. Sua primeira tentativa de escrever uma entrevista foi com o ator Pedro Carvalho, que estava no auge de sua carreira com a novela ''Escrava Mãe'', exibida pela Record TV. Seu primeiro artigo profissional foi lançado no dia 30 de janeiro de 2017, quando conheceu a atriz Malu Falangola, que estava na Rede Globo naquela época. Após uma curta temporada como o extinto ''Almanaque Mídia'', ele recebeu a infeliz notícia de que o portal estaria fechando devido a problemas de gestão. Uma semana depois, Daniel Neblina, um jornalista de Brasília que já estava o observando, o chamou para entrar no ”RegistroPOP'', onde ele teve o reconhecimento de seu trabalho decolando com artistas como Adriano Alves, Larissa Manoela, Thomaz Costa, Larissa Maciel, Sophia Abrahão e Lua Blanco. Em 11 de maio de 2018, depois de ficar mais de um ano na redação, ele já havia feito história em mais de 9 portais diferentes. Em março de 2018, iniciou sua carreira internacional, quando entrevistou a cantora americana Megan Nicole, de quem gostava desde a infância. Um tempo depois veio a atriz Violett Beane, estrela da série ''The Flash''. Cinco meses depois da entrevista com Beane, conheceu através do Facebook, a atriz Chloe Lang, que entre os anos de 2013 e 2014, interpretou a personagem Stephanie Meanswell na série infantil LazyTown, exibida pelo Discovery Kids, indo ao ar em setembro daquele ano.

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.