Luca Entrevista Luca Moreira

Ana Clara fala com Luca Moreira sobre EP “A Gente Sempre Ganha”

Ana Clara fala com Luca Moreira sobre EP “A Gente Sempre Ganha”

Amante do samba desde pequena, a cantora Ana Clara lança esse mês através da Universal Music, o seu primeiro EP intitulado “A Gente Sempre Ganha”. Com produção do renomado Dudu Borges, nome conhecido no ritmo do sertanejo, o álbum contará com participações especiais de Alcione e dos meninos do grupo “Atitude 67”.

Liberado nas plataformas digitais nessa sexta-feira (31), a data do álbum também marca a estreia de seu primeiro single original “Página Marcada”, que gravou em parceria com Pedrinho Pimenta e Cesar Lemos.

Junto com Alcione, Clara regravou o sucesso dos cantores Edson Conceição e Aloísio Silva, “Não Deixe o Samba Morrer”. A jovem sambista também interpreta o sucesso “Verdade” de Nelson Rufino e Carlinhos Santana de 1996. Ainda no repertório, Ana Clara traz leituras de “Nosso Amor é Assim” e “Pôxa”, clássico do samba, composto por Gilson de Souza.

Como foi seu primeiro contato com a música?
Minha família sempre foi muito próxima da música. Desde quando eu era pequena, por exemplo, meu pai sempre foi muito amante de samba e reunia os amigos no quintal de casa, quando eu tinha quase três anos entrei na aula de violino, porque minha mãe falava que a música acalma, até porque eu deveria ser um pouco agitada. Fiz aula de piano durante 10 anos, entrei numa escola de técnica vocal, fiz apresentações, participei de alguns festivais, então sempre estive conectado coma música, desde sempre. Obviamente, a influencia da família sempre gostar, e que ninguém era profissional ali, sempre foi o gosto mesmo, porém me incentivaram muito.

Quais são suas expectativas para o lançamento de “A Gente Sempre Ganha”, e quais foram suas inspirações para lançar esse EP?

A inspiração foi a minha própria vida. Acho diferente de todos os outros trabalhos que eu já fiz, nunca acreditei tanto como nesse, que demorou mais tempo para ficar pronto, mas a gente, eu e os produtores, sentamos e escrevemos coisas que eu gosto de cantar, assuntos que eu gosto de falar, então é um discurso muito meu, muito novo, muito jovem, e as expectativas são as melhores possíveis, o trabalho ficou lindo.

Como foi gravar com Alcione e Atitude 67?

Fazenda junção do que já temos no samba com a novidade do mercado hoje que o atitude 67 e a ideia desde o início foi sempre fazer o link do samba com a geração atual do ritmo, que o Atitude faz e que acredito também que esteja na mesma linha, os meninos que são meus amigos queridos e aceitaram de prontidão. Alcione, minha diva, minha referência dentro do segmento do samba e da música popular brasileira, eu fiquei muito surpresa dela ter aceito o convite, porque sempre ouvi ela cantar, sempre cantei músicas dela, tem músicas no meu show, então foi um presente ter ela dentro desse trabalho.

O que te fez escolher o samba como estilo musical?

Eu não escolhi, ele me escolheu. Nunca tive duvida de nada, desde o inicio sempre cantei o estilo, o que eu gostei de ouvir, o que gostei de cantar, então…fui escolhida.

Fale-nos sobre sua experiência ao lado do produtor Dudu Borges?

Eu tive uma experiência diferente, assim com relação aos trabalhos que já tive com o Dudu. Ele é um produtor maravilhoso. Algumas pessoas só conhecem ele dentro do sertanejo, pelo fato dele já ter feitos muitos trabalhos nesse gênero, mal as pessoas sabem que ele é um produtor, que não tem barreiras para música,  porque ele como eu, ama e respira música 24 horas por dia, é um cara super criativo, jovem, tem umas ideias maravilhosas, me ajudou muito, me abriu portas. Uma pessoa que foi muito parceira desde o início, porque eu entrei lá no estúdio dele, sem pensar em gravar nada, e aí de lá a gente começou a escrever algumas coisas,  começou a fazer algumas músicas, e aí, a gente foi tendo a ideia de realmente gravar um disco, gravar um DVD….É um cara que eu tenho uma gratidão eterna.

Sobre a música “Página Marcada”, pode nos falar sobre essa produção?

“Página Marcada” é uma composição minha com o Pedrinho do Atitude 67 e com um dos nossos produtores, que é o César Lemos. Estou muito feliz em poder trabalhar uma música minha pela primeira vez. Música super jovem, vem em um clima bem legal, uma música que é dançante, comercial. E a gente quer trazer essa galera mais jovem pra perto do nosso segmento do Samba, a gente sente a sua falta e dessa renovação.

Deixe uma mensagem.

Quero deixar um beijo para todo mundo que acompanha o site, agradecer a oportunidade está aqui falando um pouquinho do meu trabalho, para quem ainda não conhece ele convido vocês a conhecer um pouquinho da minha história, da minha música, inclusive já baixar esse trabalho novo, e eu espero que vocês gostem. Obrigado.

Sobre o autor | Website

Luca Rocha Moreira, nascido na manhã de 14 de maio, 1998 na cidade de Niterói, filho de Lucia Maria Rocha e Luiz Carlos Falcão Moreira, um designer gráfico que morreu em 2012 vítima de câncer de pulmão. Em 2008, ele foi morar com sua mãe e seu padrasto, o veterinário Vladimir Fernandes, que já era pai de seu irmão Eduardo Rocha, e que alguns anos depois adotou sua irmã mais nova, Camila, em Macapá. Além desses dois, Luca também é irmão de Leonardo e Alexandre Tristão. Seu avô materno era comissário de bordo da Varig, falida em 2006. Iniciou o ensino médio na Escola Técnica Estadual Henrique Lage, onde cursou o técnico integrado em engenharia naval. Em 2015, Moreira começou a fazer um curso de formação de atores profissionais, fazendo testes em aula como ''Navalha na Carne'' do autor Plínio Marcos. Mas depois de cinco meses de treinamento, ele começou a ter problemas com sua classe, pois incomodou seus colegas por não serem tão fáceis de incorporar seus personagens na primeira vez, o que o deprimiu. Ele teve aulas com o professor e ator profissional Alécio Abdon, que participou de algumas novelas da Rede Globo. Sua base de estudos foi através do dramaturgo russo Constantin Stanislavski. Atualmente estudando jornalismo na Universidade Estácio de Sá, iniciou seus estudos acadêmicos em março de 2018, antigamente no curso de publicidade, mais no segundo período, decidiu se mudar para o jornalismo, analisando contato e sua facilidade na área. Lá ele também participou de projetos estudantis, como ter entrado como editor do principal jornal interno da faculdade, ''O Estaciente''. Ali publicou vários artigos que escreveu, como os de Rodrigo Tardelli e Babi Xavier. Em seu tempo no jornal interno da universidade, ele teve a oportunidade de experimentar outros assuntos fora do mundo artístico e celebridades, como as eleições presidenciais no Brasil em 2018, onde ele foi responsável por escrever sobre os quatro candidatos que lideravam a presidência: Jair Bolsonaro, Marina Silva, Geraldo Alckmin e Ciro Gomes. Em março de 2016, Luca foi descoberto em sua página no Facebook, no qual veio a mudar de assunto várias vezes, escrevendo assuntos como esportes, nutrição e por fim, sobre cultura, por esse assunto, Moreira foi descoberto por uma produtora de teatro profissional localizada na Barra da Tijuca, onde foi convidado para fazer seu primeiro estágio, ainda cursando o ensino médio. Seis meses depois, fez um acordo para divulgar o filme ''O Grande Circo Místico'', dirigido pelo premiado diretor Cacá Diegues, que por causa de um problema, o fez renunciar a sua posição. Naquela época, Luca conhecia seus primeiros contatos com o meio profissional, como a atriz Rayssa Bratillieri, que mais tarde fez a personagem Pérola Mantovani em “Malhação – Vidas Brasileiras”. Primo dos atores Giulliana Succine e Miguel Rivas, sempre ajudou Giulliana com sua assessoria, que em dezembro de 2017, se juntou a Esdras Ribeiro, que na época possuía um conjunto de sites, onde ele começou a escrever seus primeiros assuntos como colunista. Sua primeira tentativa de escrever uma entrevista foi com o ator Pedro Carvalho, que estava no auge de sua carreira com a novela ''Escrava Mãe'', exibida pela Record TV. Seu primeiro artigo profissional foi lançado no dia 30 de janeiro de 2017, quando conheceu a atriz Malu Falangola, que estava na Rede Globo naquela época. Após uma curta temporada como o extinto ''Almanaque Mídia'', ele recebeu a infeliz notícia de que o portal estaria fechando devido a problemas de gestão. Uma semana depois, Daniel Neblina, um jornalista de Brasília que já estava o observando, o chamou para entrar no ”RegistroPOP'', onde ele teve o reconhecimento de seu trabalho decolando com artistas como Adriano Alves, Larissa Manoela, Thomaz Costa, Larissa Maciel, Sophia Abrahão e Lua Blanco. Em 11 de maio de 2018, depois de ficar mais de um ano na redação, ele já havia feito história em mais de 9 portais diferentes. Em março de 2018, iniciou sua carreira internacional, quando entrevistou a cantora americana Megan Nicole, de quem gostava desde a infância. Um tempo depois veio a atriz Violett Beane, estrela da série ''The Flash''. Cinco meses depois da entrevista com Beane, conheceu através do Facebook, a atriz Chloe Lang, que entre os anos de 2013 e 2014, interpretou a personagem Stephanie Meanswell na série infantil LazyTown, exibida pelo Discovery Kids, indo ao ar em setembro daquele ano.

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.