Conversa com Bial – 13/04/2018: Jorge Drexler e Milton Nascimento

Publicidade

0
Imagem: Globo/Ramón Vasconcelos

No Conversa com Bial desta sexta-feira, dia 13/04, Jorge Drexler e Milton Nascimento.

O primeiro cantor latino-americano a conquistar um Oscar, o uruguaio Jorge Drexler, que levou para casa a estatueta de melhor canção original em 2005. “Al otro lado del río”, do filme “Diários de Motocicleta”, mostrou ao mundo a grandiosidade de Drexler e a força do talento latino-americano. “Me sinto muito em casa. Tenho sempre a sensação de que o Brasil abriu os braços para mim”, afirma ele, num português impecável.

Segundo o uruguaio, que está em turnê pelo país, a música brasileira ocupa grande espaço na sua influência artística. O gosto foi herdado da mãe — cujo presente de 15 anos foi conhecer o carnaval do Rio de Janeiro —, e se intensificou ao ouvir João Gilberto pela primeira vez.

“Não ganhei só a influência da música brasileira, mas descobri a vocação de músico com ‘Chega de saudade’. A canção me mostrou um tom de interpretação que eu ainda não conhecia”, declara. O compositor explica, ainda, que sua poesia reflexiva não é intencional, embora coloque problemas atuais como tema: “Sento frente à folha em branco e as palavras vêm naturalmente. É saber dar valor às coisas que, mesmo não sendo eternas, são importantes e deixam uma marca forte nas pessoas”.

A paixão pelo Brasil é correspondida por um amigo carioca de alma mineira, a quem Drexler chama carinhosamente de “mestre”. Considerado uma das vozes brasileiras mais em sintonia com a América Latina, Milton Nascimento vai ao palco do programa para contar detalhes da relação com o uruguaio.

“Conheci Jorge quando soube que ele ia cantar no Rio. Fui correndo até lá. Depois, fomos para casa e fizemos uma festinha”, relembra Milton, bem-humorado. Para celebrar o encontro, os dois se unem em um dueto e entoam a música vencedora do Oscar. Drexler elogia o parceiro: “A voz de Milton não sai da laringe, mas do tempo, da história. Ouvi-lo cantar é uma experiência que transcende a experiência musical, atinge uma experiência multissensorial”.

O programa vai por volta das 00h20 logo após o “Jornal da Globo“.

Compartilhar
Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

Deixe um comentário