Programação da TV Bernardo Vieira

Conversa com Bial – 18/06/2018: Elza Soares e Zeca Camargo

Conversa com Bial – 18/06/2018: Elza Soares e Zeca Camargo

No Conversa com Bial desta segunda-feira, 18 de junho, entrevista Elza Soares e Zeca Camargo.

“Colocar o coração na ponta da chuteira” é uma expressão que traduz o espírito de uma Copa do Mundo. Em 1962, Mané Garrincha vestiu-se de coração da cabeça aos pés para fazer daquele um momento histórico para sua amada.

Elza Soares é o nome dela, que, aos 25 anos, comemorava e se encantava com o talento do craque, sentimentos que não se apagaram com o passar do tempo. “Ainda amo aquele homem. Até hoje sonho com ele”, admite a cantora, nesta terça-feira, dia 19, no ‘Conversa com Bial’.

O que se fala daquela Copa, quando Pelé se contundiu na segunda partida e Garrincha assumiu a responsabilidade de levar o time ao bicampeonato, é que a história de amor do jogador com Elza teve participação importante nesta conquista.

“Foi também para Elza que Garrincha jogou tudo que jogou, foi também para encantar seu grande amor que ele só faltou fazer chover em campo”, reforça Ruy Castro, autor da biografia do atleta.

Parceira em todos os sentidos, Elza esteve ao lado do jogador nos momentos mais difíceis. “Paguei a operação do joelho dele porque se recusaram a pagar. Fui para o hospital e só não assisti à operação porque não aguentei”, lembra, revelando ainda a Bial mais alguns detalhes sobre o início de seu namoro com o jogador.

Recordações à parte e a uma semana de completar 81 anos, Elza Soares confirma o que tem sido demonstrado em suas obras e shows mais recentes: “Estou ótima de tanto trabalhar, estou vivendo minha segunda juventude. Moçoila, casada comigo mesma”.

A cantora de hoje segue fazendo história como a cantora de décadas atrás e todas as memórias, como as de seu relacionamento com Mané Garrincha, estão em vias de ganhar as páginas de uma biografia escrita por Zeca Camargo.

“A gente não segue por ordem cronológica, mas pela memória da Elza. E este grande amor só aparece no final, pela perspectiva dela”, comenta o jornalista, que chega a fazer as entrevistas dentro de aviões por conta da agenda apertada da artista.

Protagonista de uma vida cheia de altos e baixos, Elza passou por muitas dificuldades no início dos anos 80 e decidiu se apresentar em circos para conseguir algum dinheiro. “Eu precisava comer, precisava alimentar meu filho.

Sempre fiz assim. Quando as coisas não estão boas, eu escondo dos meus filhos e da minha família para não passar nenhum tipo de dor a eles. Fazer shows em circo não era nenhuma desonra pra mim, eu estava trabalhando”, conta a cantora, que revela ainda o apoio de Caetano Veloso para não desistir da carreira.

Antes de ir embora, Elza é aplaudida longamente pela plateia, um reconhecimento espontâneo pela história da mulher e da artista de tantos talentos. Com apoio de Zeca e Pedro Bial, ela faz questão de ficar de pé para receber todo o carinho a que tem direito.

O programa vai por volta das 00h20 logo após o “Jornal da Globo“.

Sobre o autor | Website

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.