Programação da TV Bernardo Vieira

Esporte Espetacular – 14/10/2018: a formação de pequenos torcedores

Esporte Espetacular – 14/10/2018: a formação de pequenos torcedores

No Esporte Espetacular deste domingo, 14 de outubro, a formação de pequenos torcedores.

Apaixonados por futebol fazem de tudo para que seus filhos sigam o mesmo caminho e essa paixão seja perpetuada. Porém, mudanças de percurso, muitas vezes inesperadas, acabam interferindo nos planos da família. Desempenho do time, mudança de cidade ou a influência de amigos são alguns dos fatores que podem alterar o curso desse sonho. Inspirado pelo Dia das Crianças, o ‘Esporte Espetacular’ mostra, neste domingo, dia 14, como se formam os pequenos torcedores. São crianças que precisam escolher entre o time do pai e o da mãe, filhos que torcem por um time rival ao dos pais, e irmãos que escolhem equipes diferentes.

No Rio de Janeiro, um torcedor do Fluminense fica com o coração dividido depois de se destacar na escolinha de futebol de salão do rival Flamengo. Em São Paulo, um filho de mãe palmeirense e pai corintiano, escolhe o Santos como tema da sua festa de aniversário. Em Porto Alegre, mesmo cercada por gremistas (incluindo a mãe) e colorados, uma menina decide torcer para o Atlético-MG, o time do pai. E em Recife, os filhos de um casal que torce para times diferentes, precisam escolher entre o do pai e o da mãe.

Estratégia ou pura sorte? Em um novo episódio da série ‘Estudo de Campo’, Samy Dana mergulha fundo na decisão por pênaltis, um dos momentos mais tensos do futebol, para investigar fatos e mitos. Com base em um estudo feito por dois pesquisadores espanhóis, que analisaram 269 disputas de pênaltis, totalizando 2.820 cobranças, foram testadas cinco variáveis que poderiam afetar o resultado: a força das equipes, a posição dos cobradores, a experiência em decisões nas penalidades, o local da partida, e a ordem das cobranças.

Na Espanha, a correspondente Mariana Becker acompanha um espetáculo quase circense: a formação das Torres Humanas da Catalunha, uma tradição de quase 200 anos e patrimônio imaterial da Humanidade pela Unesco. As equipes são formadas por pessoas da comunidade, nenhum acrobata profissional, e cada uma delas representa uma região, uma cidade ou um vilarejo. Na base da torre, os homens chegam a aguentar o peso de oito pessoas. A partir do terceiro andar, só mulheres fazem parte da pirâmide e, no topo, geralmente fica uma criança.

Tudo isso e muito mais você pode conferir logo após mais uma exibição do Autoesporte, começando a partir das 09h, na Rede Globo.

Sobre o autor | Website

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.