Luca Entrevista Luca Moreira

“Eu peguei ódio da Disney”, diz Carol Capel para Luca Moreira

“Eu peguei ódio da Disney”, diz Carol Capel para Luca Moreira

Conhecida pelo seu jeito único e polêmico, Carol Capel faz o que muitos tem medo de fazer: ser ela mesma. Trabalhando como executiva de finanças no Brasil, depois de muito tempo de trabalho, percebeu que seu tempo estava sendo desperdiçado no escritório e decidiu se aventurar em um mundo totalmente diferente.

Ex-funcionária da Rede Globo, largou tudo e foi viver a vida nos Estados Unidos, onde começou a gravar vídeos sobre os parques de Orlando, para compartilhar tudo aquilo que estava vivenciando. Depois de um tempo, recebeu uma proposta de uma empresa que a transferiu definitivamente para os EUA, onde tecnicamente seu canal começou.

Diferente de muitas pessoas, ela usa seus conhecimentos para revelar verdades, assuntos que envolvem segredos e curiosidades, desde empresas como Coca-Cola até a Disney, que surpreendem muitos de seus espectadores.

Venha conhecer um pouco mais sobre a vida e como são os bastidores de Carol.

De onde veio a ideia de criar o canal no YouTube?

Eu morava no Brasil e trabalhava como executiva de Finanças em uma empresa, tinha uma vida “normal” da qual eu estava muito de saco cheio. Eu não queria passar a minha vida toda trancada dentro de um escritório atrás de planilhas, gráficos e análises financeiras (embora eu goste muito da área de Finanças), eu percebia que minha energia era desperdiçada em ter que fazer o que os outros queriam. E não exatamente o que eu queria fazer. Foi então que eu pedi as contas da TV Globo (onde eu trabalhava) e fui para os Estados Unidos à passeio mesmo para gravar vídeos sobre os parques de Orlando porque eu tinha muita informação para compartilhar sobre aquilo tudo. Quando eu voltei eu recebi uma proposta de outra empresa para trabalhar 3 meses no Brasil e 3 meses nos EUA, na Flórida. Não pensei duas vezes pois assim eu poderia estar mais próxima dos parques da Disney e gravar com mais frequência para o canal. Mas, um belo dia a empresa resolveu que ia me transferir em definitivo para os EUA. E foi assim que meu canal começou tecnicamente. Eu juntei o conhecimento de Disney que eu já tinha, mais a vontade de querer levar a informação para os brasileiros que tinham aquele mesmo sonho que eu e óbvio juntei com a vontade de poder fazer algo que fosse meu, que me desse prazer em fazer, que tivesse a minha cara.

Nascida no Brasil, e morando atualmente nos Estados Unidos, como foi esta mudança e quais foram as dificuldades que encontrou em se adaptar?

Eu atualmente moro na Europa, mas tudo bem, sem problemas.

Sobre sair do Brasil e ir para os Estados Unidos já era uma coisa que eu queria muito. E eu só enviava meu currículo para vagas de emprego que tinham essa possibilidade. Mas eu nunca imaginei que isso fosse realmente acontecer. A mudança foi ótima e eu não tive nenhum tipo de dificuldade. Os Estados Unidos, assim como qualquer um dos outros países que já morei (até agora foram: EUA, Itália e Polônia, onde eu resido atualmente), esses países estão de braços abertos para os imigrantes que querem fazer a coisa certa. Que estão indo lá para trabalhar legalmente, para contribuir com o crescimento do país. Então eu sempre fui muito bem tratada e não tive dificuldade nenhuma em me adaptar. Eu queria muito sair do Brasil porque eu me sentia realmente muito insegura, muito aprisionada dentro da minha própria casa, minha questão com o Brasil foi tão tensa que eu desenvolvi Síndrome do Pânico, que inclusive tenho até hoje. Então viver em um país onde eu tenha segurança (principalmente) eu não tenho problemas para me adaptar. Muito pelo contrário, ruim seria se eu voltasse para o Brasil.

Como surgiu o “Carol Me Ensina” e quais foram as principais dificuldades para criá-lo? 

Quando eu morava no Brasil e sonhava apenas em visitar a Disney (sonhava porque não tinha dinheiro), eu dava aulas de inglês para executivos para conseguir juntar dinheiro extra (além do meu emprego das 8 às 5 da tarde). Meus alunos sempre elogiaram muito minha metodologia de ensino e sempre diziam que era uma aula diferenciada. Por esse motivo eu juntei forças para poder levar esse meu método para todas as pessoas que me seguem. A maior dificuldade foi realmente criar algo do zero e sozinha, porque “minha equipe” de trabalho somos: eu, meu marido e meu cachorro.

Eu fiz todo o escopo do curso, a gravação das aulas, as apostilas, a edição dos vídeos, a revisão dos textos, enfim TUDO! E meu marido cuida da parte burocrática, atendimento e plantão de dúvidas. Então é muito trabalho apenas para duas pessoas. Mas como até hoje eu conheci pouquíssimas pessoas nas quais eu pude realmente confiar, achei melhor manter a “equipe” enxuta e garantir a qualidade.

Ah e se você tem curiosidade em saber qual é o papel do cachorro na equipe, ele faz o apoio emocional para quando estamos estressados!

Sem dúvidas, um dos assuntos mais abordados em seu canal é a experiência com a Disney, onde revela vários segredos sobre os bastidores da empresa. O que a fez escolher essa temática? 

Fazia muito tempo que eu não falava tanto de Disney como estou fazendo ultimamente no meu canal. E o motivo é bem simples: ódio!

Eu peguei ódio, ranço, verdadeiro ranço da Disney depois de tudo o que me aconteceu nos parques, depois de tudo o que eu vi acontecer por lá. São as coisas que eu relato nos meus vídeos. Mas por algum motivo, que eu não sei explicar, eu gravei um vídeo total sem pretensão (achando que ninguém fosse assistir) sobre minha péssima experiência como ex-funcionária da Disney Company Brasil. Postei esse vídeo e ele simplesmente BOMBOU, por esse motivo as pessoas começaram a pedir que eu falasse mais sobre o assunto e assim ficou o canal por enquanto.

Mas para que a galera não enjoe disso eu sempre tento trazer curiosidades e o lado obscuro que ninguém tem coragem de falar de outras marcas como: Coca-Cola, McDonald´s. E é assim que o canal está funcionando agora. Mas também tem muito vlog de parques de diversões pelo mundo e viagens pelo mundo, pra quem gostar desse tipo de conteúdo também.

Viajando pro vários lugares, tanto nos Estados Unidos como na Europa, qual foi o melhor momento e quais os países que mais gostou? 

Eu sou enlouquecida pela cidade de New York e os momentos que passei lá são impagáveis. Mas certamente, por incrível que pareça o país que eu mais gosto de viajar é o meu país atual, a Polônia. É um destino pouquíssimo explorado por turistas de todo o mundo, mas as paisagens (que vocês podem ver no meu Instagram) e os lugares que conheço aqui são realmente de tirar o fôlego. Além disso a comida é maravilhosa.

A Suíça também é um dos meus lugares favoritos desse mundo. É inexplicável estar lá naquele país, parece que você atravessou uma dimensão diferente e saiu na Suíça, é tudo muito lindo. Mas ainda não conheço quase nada. Preciso viajar muito ainda.

Como você se definiria?

Eu me defino como uma pessoa extremamente perfeccionista, chata e dependente de remédios para dormir. Como eu trabalho muito enlouquecida durante o dia todo minha cabeça nunca desliga e se eu não tomar um tarja preta eu não durmo.

Eu odeio coisas mal-feitas e por esse motivo eu detesto terceirizar as minhas coisas, sempre sou eu quem faz tudo. Tem que ser tudo do meu jeito, sempre. Porque se não eu fico bem revoltada. Coitado do meu marido.

Deixe uma mensagem.

Se você quer ganhar muito dinheiro, viajar o mundo e realizar seus sonhos, não é economizando papel higiênico e pasta de dentes que você vai conseguir. E sim ganhando mais dinheiro. Por isso você precisa estudar muito, igual um doido. Fazer faculdade atrás de faculdade, falar línguas, quanto mais melhor e correr atrás do seu dinheiro. Correr atrás das suas coisas, dentro da legalidade claro.

E também não querer fazer algo que você não tenha capacidade para fazer, conheça seus limites. Tem gente que nasceu sem determinada aptidão para determinada coisa. Então não adianta forçar. Então descobrir o que você é bom em fazer também ajuda e muito. Para você evitar ficar pagando micão por aí. E por último: Todo mundo vai te julgar, te chamar de doido, rir da sua cara. Mas se você estiver certo daquilo que quer e do que quer fazer, o seu dia de rir de volta vai chegar.

Sobre o autor | Website

Luca Rocha Moreira, nascido na manhã de 14 de maio, 1998 na cidade de Niterói, filho de Lucia Maria Rocha e Luiz Carlos Falcão Moreira, um designer gráfico que morreu em 2012 vítima de câncer de pulmão. Em 2008, ele foi morar com sua mãe e seu padrasto, o veterinário Vladimir Fernandes, que já era pai de seu irmão Eduardo Rocha, e que alguns anos depois adotou sua irmã mais nova, Camila, em Macapá. Além desses dois, Luca também é irmão de Leonardo e Alexandre Tristão. Seu avô materno era comissário de bordo da Varig, falida em 2006. Iniciou o ensino médio na Escola Técnica Estadual Henrique Lage, onde cursou o técnico integrado em engenharia naval. Em 2015, Moreira começou a fazer um curso de formação de atores profissionais, fazendo testes em aula como ''Navalha na Carne'' do autor Plínio Marcos. Mas depois de cinco meses de treinamento, ele começou a ter problemas com sua classe, pois incomodou seus colegas por não serem tão fáceis de incorporar seus personagens na primeira vez, o que o deprimiu. Ele teve aulas com o professor e ator profissional Alécio Abdon, que participou de algumas novelas da Rede Globo. Sua base de estudos foi através do dramaturgo russo Constantin Stanislavski. Atualmente estudando jornalismo na Universidade Estácio de Sá, iniciou seus estudos acadêmicos em março de 2018, antigamente no curso de publicidade, mais no segundo período, decidiu se mudar para o jornalismo, analisando contato e sua facilidade na área. Lá ele também participou de projetos estudantis, como ter entrado como editor do principal jornal interno da faculdade, ''O Estaciente''. Ali publicou vários artigos que escreveu, como os de Rodrigo Tardelli e Babi Xavier. Em seu tempo no jornal interno da universidade, ele teve a oportunidade de experimentar outros assuntos fora do mundo artístico e celebridades, como as eleições presidenciais no Brasil em 2018, onde ele foi responsável por escrever sobre os quatro candidatos que lideravam a presidência: Jair Bolsonaro, Marina Silva, Geraldo Alckmin e Ciro Gomes. Em março de 2016, Luca foi descoberto em sua página no Facebook, no qual veio a mudar de assunto várias vezes, escrevendo assuntos como esportes, nutrição e por fim, sobre cultura, por esse assunto, Moreira foi descoberto por uma produtora de teatro profissional localizada na Barra da Tijuca, onde foi convidado para fazer seu primeiro estágio, ainda cursando o ensino médio. Seis meses depois, fez um acordo para divulgar o filme ''O Grande Circo Místico'', dirigido pelo premiado diretor Cacá Diegues, que por causa de um problema, o fez renunciar a sua posição. Naquela época, Luca conhecia seus primeiros contatos com o meio profissional, como a atriz Rayssa Bratillieri, que mais tarde fez a personagem Pérola Mantovani em “Malhação – Vidas Brasileiras”. Primo dos atores Giulliana Succine e Miguel Rivas, sempre ajudou Giulliana com sua assessoria, que em dezembro de 2017, se juntou a Esdras Ribeiro, que na época possuía um conjunto de sites, onde ele começou a escrever seus primeiros assuntos como colunista. Sua primeira tentativa de escrever uma entrevista foi com o ator Pedro Carvalho, que estava no auge de sua carreira com a novela ''Escrava Mãe'', exibida pela Record TV. Seu primeiro artigo profissional foi lançado no dia 30 de janeiro de 2017, quando conheceu a atriz Malu Falangola, que estava na Rede Globo naquela época. Após uma curta temporada como o extinto ''Almanaque Mídia'', ele recebeu a infeliz notícia de que o portal estaria fechando devido a problemas de gestão. Uma semana depois, Daniel Neblina, um jornalista de Brasília que já estava o observando, o chamou para entrar no ”RegistroPOP'', onde ele teve o reconhecimento de seu trabalho decolando com artistas como Adriano Alves, Larissa Manoela, Thomaz Costa, Larissa Maciel, Sophia Abrahão e Lua Blanco. Em 11 de maio de 2018, depois de ficar mais de um ano na redação, ele já havia feito história em mais de 9 portais diferentes. Em março de 2018, iniciou sua carreira internacional, quando entrevistou a cantora americana Megan Nicole, de quem gostava desde a infância. Um tempo depois veio a atriz Violett Beane, estrela da série ''The Flash''. Cinco meses depois da entrevista com Beane, conheceu através do Facebook, a atriz Chloe Lang, que entre os anos de 2013 e 2014, interpretou a personagem Stephanie Meanswell na série infantil LazyTown, exibida pelo Discovery Kids, indo ao ar em setembro daquele ano.

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.