Fantástico 17/09/2017 – a busca da ciência pela longevidade

Publicidade

0
Imagem: Globo/João Cotta

No Fantástico deste domingo, dia 17/09, a busca da ciência pela longevidade.

A busca pela longevidade é uma constante e vem se tornando realidade: estamos vivendo cada vez mais. O programa explica o que os cientistas estão fazendo para tentar atrasar o relógio biológico.

Sandra Coutinho, correspondente da Globo nos Estados Unidos, conta as novidades sobre o tema que surgem no Vale do Silício e apresenta a Bina 48, um robô com inteligência artificial, construído com o objetivo de clonar a mente humana e receber informações acumuladas no cérebro de uma pessoa de verdade.

A principal discussão é se o objetivo final é prolongar a vida, mantendo humanos saudáveis por mais tempo com qualidade, ou mirar a eternidade. Cientistas acreditam que o limite de vida para humanos é de 115 anos. Sandra Coutinho entrevista personagens como Aubrey de Grey, engenheiro especializado em inteligência artificial, que acredita que medicina e tecnologia, juntas, podem até fazer o relógio da vida girar para trás.

Para ele, injeções para restaurar o DNA e cirurgias para trocar os órgãos envelhecidos seriam a chave para uma vida mais longa. O geneticista Gordon Lithgow fala sobre drogas capazes de reduzir o ritmo do relógio biológico de minhocas, moscas e ratos de laboratório. E Brian Hanley, outro geneticista, está testando no próprio corpo uma terapia que pode prolongar a vida e criou um método para reprogramar os próprios genes.

O ‘Fantástico’ também terá muita música: Jota Quest e o guitarrista americano Nile Rodgers, que tocarão juntos no Rock in Rio, se encontram, no palco do programa, para uma prévia da apresentação. Prestes a completar 25 anos de carreira, a banda mineira fala sobre seu novo álbum, o primeiro acústico. Rodgers já trabalhou com grandes nomes como Madonna, David Bowie, Diana Ross e Duran Duran e diz que adora o som do Jota Quest.

A novidade fica por conta da estreia da série ‘Fórmula do Sabor’, da BBC, que explica a ciência por trás da comida. Misturando gastronomia, ciência e um show de imagens, o quadro revela, em quatro episódios, curiosidades sobre os alimentos. No episódio de estreia, as reações químicas que acontecem quando cozinhamos, e como um queijo francês, colonizado por bactérias e com cheiro ruim, pode ser gostoso. A série explica ainda que cinco tipos de receptores formam nosso paladar: salgado, doce, azedo, amargo e umami. A palavra japonesa, pouco conhecida, pode ser traduzida como “o sabor que fica”.

O terceiro episódio da série ‘Nelson Por Ele Mesmo’ mergulha na história de vida do dramaturgo e revela a tragédia familiar do assassinato de seu irmão, o ilustrador Roberto Rodrigues. O episódio é fundamental para entender melhor a alma e a arte de Nelson. Roberto foi vítima da vingança de Sylvia Thibau, cuja traição ao marido foi publicamente exposta pelo jornal ‘Crítica’. Como Mário Rodrigues, dono do jornal, não estava na redação naquela hora, o filho acabou sendo vítima do ódio da assassina.

Mário acabou morrendo de tristeza pouco tempo depois de Roberto. Nelson Rodrigues, que estava na redação na hora do assassinato, ficou muito marcado pela tragédia. “Aos 17 anos, ele sofreu um trauma para o resto da vida”, conta Fernanda Montenegro. “O fato de ela ter sido absolvida, por legítima defesa da honra, também marcou muito meu pai”, conta Sonia Rodrigues, filha de Nelson e organizadora do livro ‘Nelson Rodrigues – Por Ele Mesmo’, base da série.

Você pode conferir isso logo após mais uma edição do “Domingão do Faustão”, começando a partir das 21h, na Rede Globo.

Compartilhar

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

Deixe um comentário