Luca Entrevista Autor

Luca Moreira recebe Chloe Lang de “LazyTown”

Luca Moreira recebe Chloe Lang de “LazyTown”

Estrela da série “LazyTown”, a atriz, cantora e dançarina Chloe Lang marcou a infância de várias crianças com a personagem Stephanie, conhecida pelo seu estilo cor-de-rosa. Hoje, aos 16 anos, ela se divide entre a carreira profissional de atriz e cantora, fazendo séries como “Doctors” (BBC One) e “Brooke & Carly”, além de outros trabalhos no cinema e na publicidade, sendo seu último projeto, “The Fifth Borough”, produzido pela Netflix e com previsão de lançamento para 2019.

No meio musical, Lang lançou seu primeiro single “Party Down the Road” em dezembro do ano passado, e seu segundo projeto será lançado ainda esse mês com o titulo de “I Won’t Cry”.

Quando o seu primeiro contato com a arte aconteceu?

Eu tinha seis anos na primeira vez que estive em um set de filmagem e imediatamente me apaixonei por ele! Parece que sempre foi e não tem nada, mas divertido estar envolvido neste mundo. Atualmente sou representado pela Agência de Artistas Inovadores, bem como pelo Prestige Management Group. Eu tive a sorte de trabalhar na TV, Cinema e Comerciais e Imprimir. Meu último comercial foi ao ar em agosto para JC Penney Back To School.

O ano de 2012 foi quando seu grande avanço no entretenimento aconteceu, quando ela foi escolhida para interpretar Stephanie em “LazyTown”. Como foi esse processo de seleção e suas experiências nos bastidores?

Em 2012, quando eu tinha 10 anos, fiz o teste para o LazyTown em Nova York. Depois de algumas rodadas de audições me ofereceram o papel de Stephanie. Eu me mudei para Reykjavik, na Islândia, para a produção das 3ª e 4ª temporada. Foi uma tremenda quantidade de trabalho que me deixou com experiências incríveis e amizades duradouras.

Como está sendo se preparar para “The Fifith Borough”?

Em outubro, vou começar a filmar The Fifth Borough, que é um filme da Netflix. Foi inspirado pela epidemia de heroína em Staten Island, NY. É como “Os Infiltrados” conhece “Os Sopranos” e a luta de um homem para fazer o que puder pela sua família, não importando o custo. Está programado para ser lançado no final da primavera de 2019.

O que inspirou a ideia de lançar o single “Party Down The Road”, e como foi sua produção?

Eu comecei a cantar quando tinha 6 anos e comecei a me apresentar publicamente com  7 anos. Não foi até os 13 anos que me interessei gravando e fazendo videoclipes. Party Down The Road foi meu primeiro single que eu lancei. Foi escrito e produzido por Jim Camacho. Eu tinha um punhado de amigos que estavam interessados ​​em estar no vídeo da música, o que tornava muito divertido filmar. Eu estou lançando o clipe da música “I Won’t Cry” no domingo, dia 7 de outubro. Este foi escrito e produzido por Joey Benjamins Estou super animado para compartilhar com todos vocês!

Quando começou sua relação com a dança?

Comecei a dançar quando tinha dois anos e comecei a competir em dança aos cinco anos de idade. A dança me conectou com tantas pessoas e lugares ao longo da minha vida nacional e internacional. Atualmente estou no time de dança do ensino médio. Nós ganhamos os campeonatos estaduais 11 vezes! Quando a temporada da equipe termina, começo meu treinamento para o meu solo e concluo regionalmente.

O que Stephanie trouxe e como ela é representada hoje em sua vida?

Eu tive inúmeras oportunidades de usar meu papel como Stephanie para ajudar os outros. Esta talvez tenha sido a maior bênção que veio desse papel e é a razão pela qual o papel de Stephanie ainda está comigo hoje. Eu acabei de voltar de Porto Rico, onde viajei com minha irmã e amiga para dar aulas de dança em um estúdio lá. Eles estão apenas se recuperando dos furacões em 2017 e fomos abençoados por poder lhes proporcionar um dia de felicidade e dança.

Em 2017, fui abordado por Chris Crow e Mani Svavarsson para cantar uma música de fãs do LazyTown. Isso foi feito na Islândia e eu estava feliz por fazer parte disso!

Uma das curiosidades da série foi que os únicos humanos da série eram você, Magnús Scheving, e Stefan Karl Stefánsson. O fato de os outros personagens serem fantoches, a interação causou alguma dificuldade no momento da filmagem?

Meu desafio inicial foi aprender a andar nas passarelas sem falhas e com segurança. Eu também tive que aprender a trabalhar com bonecos. Isso foi muito legal porque, apesar de eu estar falando na linha do olho de um fantoche, suas vozes e movimentos foram feitos pelos marionetistas que estavam abaixo de mim. Inicialmente queria olhar para baixo para falar com os fantoches! Todos do elenco e da equipe eram profissionais de primeira linha e trabalhar com eles facilitou a conquista de qualquer desafio. Trabalhar e desenvolver uma amizade com Stefan Karl (também conhecido como Robbie Rotten) foi inesquecível. Eu, junto com seus milhares de fãs estamos tristes com sua morte.

Como você compartilhou o personagem com Julianna Mauriello?

Minha experiência como Stephanie ainda está comigo hoje. Estou ciente de que um personagem tão amado foi compartilhado por duas pessoas, eu e Julianna Rose Mauriello, e juntas criamos 4 grandes temporadas. Nós dois nos conhecemos em 2016 e juntos fazíamos parte de uma página do Go Fund Me para Stefan Karl e sua família.

Deixe uma mensagem para o Brasil.

Obrigado do meu coração por tudo que você ama e apóia! Eu adoraria visitar em breve! Talvez com a colaboração de Luca isso possa acontecer! Um fato rápido para todos vocês é que minha família fala português em nossa casa!

Sobre o autor | Website

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.