Crítica de filmes Felipe Cherque

Mesmo arrecadando horrores de bilheteria, ‘Esquadrão Suicida’ não empolga nem um pouco

Mesmo arrecadando horrores de bilheteria, ‘Esquadrão Suicida’ não empolga nem um pouco

O Marketing que a Warner Bros fez em cima de ‘Esquadrão Suicida’ foi uma coisa simplesmente estrondosa. Redes sociais, trailers espetaculares, teve até outdoors em algumas cidades ao redor do mundo, mas não dá. Eu sei o quão delicado é fazer qualquer tipo de crítica em algo que com fãs de diversos personagens, e alguns deles muito aclamados pelo grande público, mas a produção deixou sim a desejar.

+ Esquadrão Suicida atinge a marca dos US$ 465 milhões em bilheteria

O objetivo deste texto não é criticar detalhadamente o filme, mas sim deixar registrado que a produção, que custou cerca de 800 milhões de dólares, poderia ter sido melhor dirigida, roteirizada e editada. Principalmente editado. É raro vermos produções americanas com cortes tão secos como em ‘Esquadrão Suicida’. Além disso, é um filme que não mexe com o público, que não desperta nenhum tipo de sentimento em quem assiste. Arlequina não é engraçado, e sim boba. Viola Davis, no papel da chefona Amanda Waller não consegue ser sombria, fria e misteriosa como deveria. O mesmo pode se dizer de Cara Delevigne no papel de Magia.

O único ponto positivo do longa foi Jared Leto no papel de Coringa, este sim consegue arrepiar até a alma. Já imaginou ele em ‘Batman vs Superman’? Pena que vai ficar só na imaginação mesmo.

*Esta crítica é uma opinião do redator e não necessariamente representa a opinião do site.

Sobre o autor | Website

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.