Luca Entrevista Luca Moreira

Rafael Gualandi critica desvalorização da arte no Brasil: “Falta reconhecimento de um trabalho que pode mudar tantas coisas”

Rafael Gualandi critica desvalorização da arte no Brasil: “Falta reconhecimento de um trabalho que pode mudar tantas coisas”

Conhecido pelo seu trabalho no musical “Capitães da Areia” no ano passado, o ator Rafael Gualandi vem crescendo cada vez mais no meio artístico, não só pelos seus trabalhos, mas também por seu posicionamento em defender o reconhecimento do trabalho do ator.

Rafael que trabalhou em “Belaventura” (Record) e “O Outro Lado do Paraíso” (Globo), demonstrou sua opinião a respeito da valorização da arte no Brasil, refletindo sobre a importância que é dada à beleza e aos cuidados com o corpo em detrimento ao trabalho em si. Confira na integra.

Como foi seu começo no teatro?

Comecei fazendo peça no colégio, em que os amigos insistiam para que eu fizesse teatro e fosse ator. Eu entrei na onda, e fui procurar cursos. E a partir do meu primeiro dia de curso livre, me apaixonei pela arte de atuar. Depois fiz curso profissionalizante, e minha primeira peça profissional foi “os melhores anos das nossas vidas” com Bia Oliveira.

Um de seus grandes sucessos no teatro foi a adaptação da obra “Capitães de Areia” do autor Jorge Amado. Como você classifica a importância dessa experiência na sua vida?

Foi a minha maior e última peça. Eu sou apaixonado por capitães da areia, em 2012 eu iria fazer uma montagem dela, porém não teve patrocínio e não foi pra frente. Quando passei pra capitães, eu realizei um sonho. Foi uma construção complicada, porém muito satisfatoria, cresci e amadureci muito como ator. Atuar, cantar, tocar instrumentos, lutar e dançar , tudo quase ao mesmo tempo foi desafiador, mas no fim foi maravilhoso.

O seu primeiro papel na televisão foi em “Belaventura” da RecordTV. Quais lembranças guarda da época?

Então, lembro que quando recebi a ligação da participação, eu estava dirigindo, e minha perna tremia tanto que eu tava quase morrendo com o carro. Foi outro sonho realizado, e foi uma experiência maravilhosa. Quem dirigiu na época foi o Léo Miranda, da record, e ele teve um carinho absurdo no set, e gosto muito de trabalhar com ele. E agora em 2018 , fiz participação em JESUS, e as minhas cenas foram o Léo que dirigiu , então eu me sentia sempre bem. 

Ainda sobre “Capitães de Areia”, a história trata também da precariedade da educação dada as crianças que acabam fazendo coisas erradas por essa falta. Qual é a sua opinião sobre esse assunto? Acha que reflete o nosso dia-a-dia?

Os capitães da areia não eram bandidos, nem ladroes. Eram meninos que não tinham pra onde ir, se refugiavam todos juntos, e pra arrumar dinheiro pra comer e viver, eles precisavam furtar. E eles não queriam ir pro reformatório porque era todos mal tratados, não eram tratados como seres humanos. Hoje a nossa realidade não é muito diferente, o amor está longe da nossa sociedade, ninguém pensa no ser humano, pensa em si. Muitos estão na rua sem ter o que comer, e quantos de nós ajudamos? Então qual é a saída que ele tem? 

O que falta no Brasil para a classe artística? Os artistas possuem o reconhecimento que merecem?

Os artistas tem reconhecimento apenas dos artistas. A arte precisa ser valorizada! Falta reconhecimento de um trabalho que pode mudar tantas coisas. E nós artistas, independente de governo, temos sempre que lutar por reconhecimento, por investimentos!! Está faltando olharem para nós! 

Nos dias de hoje, muitos acabam colocando o fator da beleza à frente de suas habilidades profissionais, às vezes até dos estudos daquela profissão. Acha que esse também seja um ponto forte no universo artístico?

Acho que cada um tem que saber qual é o seu perfil, e partir daí trabalhar ele. Nos atores temos que estar sempre bem com corpo, pele, voz, e sempre estudando e trabalhando para aperfeiçoar nosso trabalho. A beleza individual é importante, cada um tem a sua, mas o foco tem que ser o trabalho. 

Deixe uma mensagem.

Gostaria que todos, atores ou não, nunca desistissem de seus sonhos, seja ele qual for. A persistência anda junto com a conquista. Para os artistas, nosso caminho é difícil, sempre vai ter alguém pra nós diminuir, pra nos fazer parar, mas nós somos maiores que isso, então lute, plante amor, que o futuro lhe dará ótimos frutos!

Sobre o autor | Website

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.