Retrô: confira as curiosidades e os bastidores de “Baila Comigo”

Publicidade

0
(Foto: Reprodução)

Após ter sido co-autor de “Água Viva”, o autor Manoel Carlos, o Maneco, teve sua estreia no horário nobre da Globo, no ano seguinte, em 1981, com a novela “Baila Comigo”.

“Baila Comigo” foi exibida entre 16 de março de e 25 de setembro de 1981, com 167 capítulos. Substituiu “Coração Alado”, de Janete Clair, e foi substituída por Brilhante, de Gilberto Braga. Teve direção de Roberto Talma e Paulo Ubiratan.

SINOPSE

O folhetim narra a história de Helena (Lilian Lemmertz), que deu luz à gêmeos, mas não pôde criá-los ao lado do pai, Joaquim Gama (Raul Cortez). Então, entregou deles a Quim (Raul Cortez) e criou o outro com o marido, o médico Plínio Miranda (Fernando Torres). Os gêmeos idênticos João Victor e Quinzinho (Tony Ramos) cresceram sem que um soubesse que o outro existia.

João Victor, um rapaz sério e dedicado aos negócios da família, foi morar em Portugal com o pai, casado com Marta (Tereza Rachel), uma mulher fútil e orgulhosa. Quinzinho, de temperamento completamente oposto ao do irmão, trabalha num banco e leva uma vida simples ao lado da mãe, Helena, uma mulher sofrida e batalhadora, e do suposto pai, Plínio, agora médico aposentado.

A saúde de Quim obriga a família Gama a retornar ao Brasil e faz com que o empresário se interesse pelo paradeiro de seu outro filho, para o desespero de Helena, que se sente culpada por ter abandonado João Victor, e por nunca ter revelado a Quinzinho que ele tinha um irmão.

Enquanto mentiras impossibilitam a aproximação dos gêmeos, algumas confusões ocorrem devido à semelhança entre os dois.

CURIOSIDADES

  • Tony Ramos recebeu aplausos da crítica pelo desafio de fazer o papel dos gêmeos, recorrendo apenas a recursos técnicos de voz, postura corporal e respiração para viver personalidades tão diversas.
  • O momento mais marcante da novela foi o esperado encontro dos gêmeos que não se conheciam, depois de vários desencontros durante quase todo o percurso do folhetim. Na cena, foram divididas em duas partes: metade para as cenas de Quinzinho e metade para as de João Victor. Enquanto o primeiro falava, só a sua metade ficava descoberta. A outra parte só se abria quando era a vez de João Victor. Gravada a sequência, juntavam-se as partes, e o público assistia à interação entre os irmãos.
  • Lilian Lemmertz, viveu a primeira das várias Helenas de Manoel Carlos. Além de ter sido a estreia da atriz na Globo, após passagem na Band e nas extinas TV Tupi e TV Excelsior.
  • Também foi a estreia de Fernando Torres e Fernanda Montenegro nas novelas da Globo.
  • Fernanda Montenegro foi inicialmente cotada para dar vida para a Helena do folhetim. Mas, a direção do folhetim optou por Lilian para interpretar a personagem.
  • Fernanda participou da novela como a atriz Silvia Toledo, e saiu antes do seu término, pois havia sido escalada para viver uma das personagens principais da substituta, “Brilhante”, de Gilberto Braga: a vilã Chica Newman.
  • Também foi a primeira novela da filha da atriz, Fernanda Torres. Mas a jovem atriz não contracenou com seus pais – Fernando Torres e Fernanda Montenegro -, que atuavam em núcleos diferentes.
  • Os primeiros capítulos tiveram cenas gravadas em Lisboa, Portugal e no Rio Grande do Sul, no Brasil.
  • Para o título da novela, foi escolhida a música de Rita Lee e Roberto de Carvalho, do álbum dela do ano de 1980. Mas, sua gravação não serviu para ilustrar a abertura, que contava com o bailarino Lenny Dale, numa coreografia ágil. A solução foi encomendar aos arranjadores Robson Jorge e Lincoln Olivetti uma versão instrumental mais frenética, com base eletrônica, a qual embalou a abertura.
  • “Baila Comigo” foi a primeira novela brasileira apresentada na França. Recebeu o título de “Danse Avec Moi”, com 55 capítulos, exibidos a partir de outubro de 1984, no canal no canal TF-1, fora os outros mais de 30 países no qual foi exportado.

AUDIÊNCIA

A novela correspondeu a audiência exigida pela a faixa e foi o maior sucesso do ano de 81. O número de televisores ligados, o chamado “share”, ultrapassava o número de 70%, e chegou a 77% no último mês, em setembro.

A média-geral do folhetim foi de 61 pontos, apenas um ponto abaixo da antecessora, “Pai Herói”, que teve 62. Foi uma das novelas de maior média daquela década.

TABELA MENSAL

16/03 a 31/03/1981 65 63 60 59 54 58 = 60
01/04 a 30/04/1981 63 61 60 63 59 58 = 61
01/05 a 31/05/1981 62 57 58 61 63 55 = 59
01/06 a 30/06/1981 58 58 58 60 61 56 = 58
01/07 a 31/07/1981 62 60 60 60 62 58 = 60
01/08 a 30/08/1981 63 64 65 61 63 59 = 62
01/09 a 25/09/1981 66 63 65 67 62 58 = 64

TELEVISORES LIGADOS (SHARE)

16/03 a 31/03/1981 = 76%
01/04 a 30/04/1981 = 75%
01/05 a 31/05/1981 = 74%
01/06 a 30/06/1981 = 73%
01/07 a 31/07/1981 = 74%
01/08 a 30/08/1981 = 76%
01/09 a 25/09/1981 = 77%

Compartilhar
Redator. Apaixonado por séries e música. Escreveu no N10 Entretenimento entre 19 de maio de 2016 e 23 de fevereiro de 2017.

Deixe um comentário