Luca Entrevista Luca Moreira

“Tenho muita sorte”, diz Daniela Paschoal para Luca Moreira

“Tenho muita sorte”, diz Daniela Paschoal para Luca Moreira

Formada pela escola de atores Wolf Maya, a atriz Daniela Paschoal tem ganhado cada vez mais espaço no meio artístico, tendo sido integrante do Núcleo de Artes Cênicas do SESI Osasco por mais de três anos, hoje ela encara seu mais novo personagem, a Joana da novela “As Aventuras de Poliana”.

Entre seus estudos estão destacados o curso de dança e canto no Conservatório do Musical do Butantã, curso livre de cinema do diretor Fernando Leal, e interpretação cinematográfica na Academia Internacional de Cinema.

Fez participações no seriado “O Negócio” da HBO, no longa-metragem “Fome” e no filme “O Resgate: Salvação ao Extremo”, no ano passado. Já realizou mais de 10 peças teatrais.

Como foi seu inicio na carreira de atriz?
Minha iniciação teatral se deu aos aos 14 anos. Ali eu já tinha certeza de qual caminho gostaria de seguir, só não sabia se seria possível. Minha paixão pelos palcos já vinha de bem antes. Comecei a dançar aos 11 anos, participei de alguns campeonatos e festivais de Jazz e Ballet Clássico. E aí logo depois descobri o teatro e nunca mais parei. Profissionalmente mesmo eu comecei aos 20 anos, quando deixei o meu trabalho de Assistente Administrativo no escritório e passei a me dedicar somente a carreira artística. Na época fiz algumas fotos e fui batendo de agência em agência, e consegui me cadastrar em algumas. Em paralelo ao teatro, comecei a fazer figurações, fiz inúmeras no começo da minha carreira, queria entender como funcionavam as coisas, como era o ritmo de um set de filmagem, etc. Fiz também muitos shows de princesas em festas infantis, pra ter uma renda a mais, afinal viver só de teatro era difícil.
Fui arte educadora em uma ONG, dei aulas de teatro em uma companhia de dança. Também trabalhei em produtoras como assistente de produção, fazia de tudo um pouco. Logo depois eu me formei e as coisas começaram a melhorar, passei a fazer testes legais, difícil era ser aprovada, recebi muitos nãos. (risos)

O começo foi muito difícil, pensei em desistir por várias vezes, seguir em outro caminho, outra profissão, mas não conseguia gostar de outra coisa, não me via fazendo outra coisa e isso me deixava ainda mais confusa. Sorte a minha ter a família que tenho, eles sempre me deram muita força, não me deixaram desistir, o apoio que recebi deles foi fundamental para minha carreira e ainda é, até hoje. Sou muito grata! Depois de anos fazendo testes, com muito esforço e dedicação, fui conquistando meu espaço aos poucos e fui entendendo também que não adiantava querer apressar as coisas, tudo acontece na hora e no tempo que tem que acontecer. E quando deixei a ansiedade um pouco de lado, os trabalhos foram aparecendo e as coisas foram fluindo e agora estou aqui, fazendo a minha primeira novela.

Sobre o Resgate, como foi a experiência de encarar esse novo tipo de mídia?
Foi a realização de um dos meus sonhos, sempre fui apaixonada por cinema. Dar vida pra também, Joana, foi incrível! Ela me ensinou muita coisa, me fez acreditar em coisas das quais eu já tinha esquecido. E o Regaste é um filme lindo, né? Com um propósito ainda maior. Foram muitos desafios superados. Fui morar em outro país, com outro clima, outra cultura, com pessoas desconhecidas, que no final passaram a ser uma família. Passávamos horas debaixo da neve gravando, não foi feito nada em estúdio, foi tudo real! Subia montanha, descia montanha, rolava na neve e por aí vai. (risos) Tivemos um lindo resultado no final, conseguimos atingir gente de tudo quanto é canto, conseguimos levar o filme pra uma aldeia na Amazônia, antes mesmo da estreia, foi um dia muito marcante. As pessoas também puderam assistir simultaneamente na TV e na internet em mais de 5 países. É muito gratificante ver o seu trabalho tocando corações, chegando tão longe e atingindo tanta gente.

Como foi a sua preparação pra viver Joana?
Um mês antes de iniciarmos as gravações, fizemos alguns ensaios no SBT com o preparador de elenco, discutíamos o roteiro, entendimento de texto, personagem e em casa eu procurava assistir filmes onde tinham personagens geeks, pra entender um pouco mais sobre o universo da Joana, que era totalmente desconhecido pra mim. A Joana é uma Game Artist, trabalha em uma empresa de Games e Apps, então na época cheguei a ir em eventos de games, conhecer as mulheres e profissionais dessa área, ficava observando o comportamento de cada uma, jeito de se vestir, andar, falar, tudo isso pra compor meu personagem, até mesmo a ideia de cortar uma franjinha pra Joana, veio daí. E o lado mãe, esposa e profissional da Joana, eu buscava conversar com minhas amigas que são mães, ouvia histórias, pegava exemplos, tudo pra me ajudar na criação dela. Acho que estou conseguindo….(risos)

Fale um pouco sobre o tempo em que esteve na academia internacional de cinema?
Fui estudar interpretação para cinema, pra entender melhor as técnicas, os truques, o ritmo de uma cena. O cinema tem uma linguagem totalmente diferente do teatro, e a minha base era o teatro. Eu tinha muita dificuldade em fazer coisas pra TV, de me soltar, tinha vergonha da câmera, e até hoje ainda tenho um pouco. (Risos) Pra mim era extremamente difícil ser minimalista, carregava vários vícios do teatro. Estudar interpretação para cinema, me ajudou a desconstruir esses vícios e encontrar um nova maneira de atuar.

Como é a sua relação com o elenco?
Tenho muita sorte, de verdade! São pessoas incríveis, aprendo a todo momento com eles! Sem contar que sou apaixonada real, por todas as crianças. No meu núcleo, eu era a única que nunca tinha feito novela, e desde o começo eles me ajudaram muito, me davam dicas, ensinavam coisas técnicas, me ajudavam com os textos, todo mundo muito querido! E é uma honra trabalhar com eles, eu era fã e hoje tô ali pertinho, contracenando com várias feras!

Quais são suas inspirações como atriz?
Acho que não só como atriz, mas como artista, como ser humano, eu acabo me inspirando em várias coisas. Não consigo citar um único nome, um único ator ou atriz, um único livro, um único filme. Eu tenho admiração por tantos profissionais ! Eu me inspiro em personagens, em atores, em pessoas, músicas, poesias. Tenho sempre uma trilha sonora pra me ajudar na criação dos meus personagens. Eu observo muito, tô sempre prestando atenção nas histórias, nas pessoas, e uso tudo isso como bagagem e inspiração.

Deixe uma mensagem
Ei gente! Espero que estejam gostado da novela! Tem sido feito tudo com muito amor e dedicação! E também quero agradecer todo o carinho que recebo de vocês, isso me fortalece! Muito obrigada!

Sobre o autor | Website

Luca Rocha Moreira, nascido na manhã de 14 de maio, 1998 na cidade de Niterói, filho de Lucia Maria Rocha e Luiz Carlos Falcão Moreira, um designer gráfico que morreu em 2012 vítima de câncer de pulmão. Em 2008, ele foi morar com sua mãe e seu padrasto, o veterinário Vladimir Fernandes, que já era pai de seu irmão Eduardo Rocha, e que alguns anos depois adotou sua irmã mais nova, Camila, em Macapá. Além desses dois, Luca também é irmão de Leonardo e Alexandre Tristão. Seu avô materno era comissário de bordo da Varig, falida em 2006. Iniciou o ensino médio na Escola Técnica Estadual Henrique Lage, onde cursou o técnico integrado em engenharia naval. Em 2015, Moreira começou a fazer um curso de formação de atores profissionais, fazendo testes em aula como ''Navalha na Carne'' do autor Plínio Marcos. Mas depois de cinco meses de treinamento, ele começou a ter problemas com sua classe, pois incomodou seus colegas por não serem tão fáceis de incorporar seus personagens na primeira vez, o que o deprimiu. Ele teve aulas com o professor e ator profissional Alécio Abdon, que participou de algumas novelas da Rede Globo. Sua base de estudos foi através do dramaturgo russo Constantin Stanislavski. Atualmente estudando jornalismo na Universidade Estácio de Sá, iniciou seus estudos acadêmicos em março de 2018, antigamente no curso de publicidade, mais no segundo período, decidiu se mudar para o jornalismo, analisando contato e sua facilidade na área. Lá ele também participou de projetos estudantis, como ter entrado como editor do principal jornal interno da faculdade, ''O Estaciente''. Ali publicou vários artigos que escreveu, como os de Rodrigo Tardelli e Babi Xavier. Em seu tempo no jornal interno da universidade, ele teve a oportunidade de experimentar outros assuntos fora do mundo artístico e celebridades, como as eleições presidenciais no Brasil em 2018, onde ele foi responsável por escrever sobre os quatro candidatos que lideravam a presidência: Jair Bolsonaro, Marina Silva, Geraldo Alckmin e Ciro Gomes. Em março de 2016, Luca foi descoberto em sua página no Facebook, no qual veio a mudar de assunto várias vezes, escrevendo assuntos como esportes, nutrição e por fim, sobre cultura, por esse assunto, Moreira foi descoberto por uma produtora de teatro profissional localizada na Barra da Tijuca, onde foi convidado para fazer seu primeiro estágio, ainda cursando o ensino médio. Seis meses depois, fez um acordo para divulgar o filme ''O Grande Circo Místico'', dirigido pelo premiado diretor Cacá Diegues, que por causa de um problema, o fez renunciar a sua posição. Naquela época, Luca conhecia seus primeiros contatos com o meio profissional, como a atriz Rayssa Bratillieri, que mais tarde fez a personagem Pérola Mantovani em “Malhação – Vidas Brasileiras”. Primo dos atores Giulliana Succine e Miguel Rivas, sempre ajudou Giulliana com sua assessoria, que em dezembro de 2017, se juntou a Esdras Ribeiro, que na época possuía um conjunto de sites, onde ele começou a escrever seus primeiros assuntos como colunista. Sua primeira tentativa de escrever uma entrevista foi com o ator Pedro Carvalho, que estava no auge de sua carreira com a novela ''Escrava Mãe'', exibida pela Record TV. Seu primeiro artigo profissional foi lançado no dia 30 de janeiro de 2017, quando conheceu a atriz Malu Falangola, que estava na Rede Globo naquela época. Após uma curta temporada como o extinto ''Almanaque Mídia'', ele recebeu a infeliz notícia de que o portal estaria fechando devido a problemas de gestão. Uma semana depois, Daniel Neblina, um jornalista de Brasília que já estava o observando, o chamou para entrar no ”RegistroPOP'', onde ele teve o reconhecimento de seu trabalho decolando com artistas como Adriano Alves, Larissa Manoela, Thomaz Costa, Larissa Maciel, Sophia Abrahão e Lua Blanco. Em 11 de maio de 2018, depois de ficar mais de um ano na redação, ele já havia feito história em mais de 9 portais diferentes. Em março de 2018, iniciou sua carreira internacional, quando entrevistou a cantora americana Megan Nicole, de quem gostava desde a infância. Um tempo depois veio a atriz Violett Beane, estrela da série ''The Flash''. Cinco meses depois da entrevista com Beane, conheceu através do Facebook, a atriz Chloe Lang, que entre os anos de 2013 e 2014, interpretou a personagem Stephanie Meanswell na série infantil LazyTown, exibida pelo Discovery Kids, indo ao ar em setembro daquele ano.

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.