Programação da TV Luca Moreira

Trilha de Letras presta tributo a Darcy Ribeiro em novo dia e horário

Trilha de Letras presta tributo a Darcy Ribeiro em novo dia e horário

Em homenagem a Darcy Ribeiro, o programa Trilha de Letras inédito desta terça (20), às 21h15, na TV Brasil resgata o legado deixado pelo antropólogo, escritor e político que faleceu há 21 anos em 17 de fevereiro de 1997.

Para lembrar a vida e a obra do saudoso homenageado, o apresentador Raphael Montes recebe o também antropólogo Mércio Gomes, que trabalhou com Darcy Ribeiro, para um bate-papo na atração que essa semana estreia em novo dia e horário.

“Sou um homem de fazimentos” . É com essa frase que Darcy Ribeiro gostava de se definir. Considerado um dos maiores pensadores do seu tempo, era, acima de tudo, um apaixonado pelo Brasil. Mércio aprofunda essa análise. “Pensar e fazer é o que caracteriza Darcy. Não é só ‘fazimento’ o que ele fazia. Ele tinha uma visão dialética do mundo. O pensar e o fazer andam juntos”, comenta Mércio.

O Trilha de Letras discute as diversas facetas do educador que se tornou personalidade histórica do país e um dos principais atores da construção da identidade nacional com suas múltiplas atuações. O convidado de Rafhael Montes debate essa perspectiva de Darcy Ribeiro. “O indivíduo é responsável pelo coletivo. Você tem que pensar e agir a partir deste pensamento. O pensamento nasce da nação e a nação nasce do pensamento”, explica Mércio Gomes.

Ainda no que diz respeito ao país, ele aborda outras reflexões do homenageado.”Darcy nunca teve nenhuma dúvida de que a mestiçagem brasileira é a que dá a sua capacidade de transcendência, a sua capacidade de se transformar numa nação nova, autônoma e exemplar para o mundo”, afirma Mércio.

Darcy Ribeiro também era conhecido por seu trabalho em relação aos índios. “Ele trouxe uma visão nova da terra indígena. Para Darcy, a terra indígena não é uma gleba, um pedaço de terra que alguém escolhe, é aquilo que os índios culturalizam”, finaliza.

Darcy Ribeiro foi ministro da Educação do Governo Jânio Quadros (1961) e chefe da Casa Civil do Governo na presidência de João Goulart. Na época da ditadura militar, ele teve seus direitos políticos cassados e foi obrigado a se exilar por alguns anos no Uruguai.

De volta ao país, no primeiro governo de Leonel Brizola no Rio de Janeiro, na década de 1980, Darcy Ribeiro criou, planejou e dirigiu a implantação dos Centros Integrados de Ensino Público (CIEP). O projeto pedagógico visionário e revolucionário do então vice-governador buscava oferecer assistência em tempo integral às crianças. A proposta contemplava atividades recreativas e culturais para além do ensino formal.

Entre outras iniciativas, Darcy Ribeiro foi responsável pela criação e pelo projeto cultural do Memorial da América Latina. O centro cultural, político e de lazer foi inaugurado em 1989, em São Paulo. O educador publicou a obra “O Povo Brasileiro” em 1995. No livro, ele discorre sobre a formação histórica, étnica e cultural da população brasileira, a partir das impressões de sua experiência de vida.

Como senador, o antropólogo foi o relator do projeto de lei que deu origem a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB – lei 9394/96). Darcy exerceu o mandato pelo Rio de Janeiro de 1991 até sua morte em 1997, após um lento processo contra o câncer que comoveu o país. Polêmico, Darcy Ribeiro teve o reconhecimento e admiração até dos adversários.

Serviço:

Trilha de Letras – terça-feira (20), às 21h15, na TV Brasil.

Sobre o autor | Website

Luca Rocha Moreira, nascido na manhã de 14 de maio, 1998 na cidade de Niterói, filho de Lucia Maria Rocha e Luiz Carlos Falcão Moreira, um designer gráfico que morreu em 2012 vítima de câncer de pulmão. Em 2008, ele foi morar com sua mãe e seu padrasto, o veterinário Vladimir Fernandes, que já era pai de seu irmão Eduardo Rocha, e que alguns anos depois adotou sua irmã mais nova, Camila, em Macapá. Além desses dois, Luca também é irmão de Leonardo e Alexandre Tristão. Seu avô materno era comissário de bordo da Varig, falida em 2006. Iniciou o ensino médio na Escola Técnica Estadual Henrique Lage, onde cursou o técnico integrado em engenharia naval. Em 2015, Moreira começou a fazer um curso de formação de atores profissionais, fazendo testes em aula como ''Navalha na Carne'' do autor Plínio Marcos. Mas depois de cinco meses de treinamento, ele começou a ter problemas com sua classe, pois incomodou seus colegas por não serem tão fáceis de incorporar seus personagens na primeira vez, o que o deprimiu. Ele teve aulas com o professor e ator profissional Alécio Abdon, que participou de algumas novelas da Rede Globo. Sua base de estudos foi através do dramaturgo russo Constantin Stanislavski. Atualmente estudando jornalismo na Universidade Estácio de Sá, iniciou seus estudos acadêmicos em março de 2018, antigamente no curso de publicidade, mais no segundo período, decidiu se mudar para o jornalismo, analisando contato e sua facilidade na área. Lá ele também participou de projetos estudantis, como ter entrado como editor do principal jornal interno da faculdade, ''O Estaciente''. Ali publicou vários artigos que escreveu, como os de Rodrigo Tardelli e Babi Xavier. Em seu tempo no jornal interno da universidade, ele teve a oportunidade de experimentar outros assuntos fora do mundo artístico e celebridades, como as eleições presidenciais no Brasil em 2018, onde ele foi responsável por escrever sobre os quatro candidatos que lideravam a presidência: Jair Bolsonaro, Marina Silva, Geraldo Alckmin e Ciro Gomes. Em março de 2016, Luca foi descoberto em sua página no Facebook, no qual veio a mudar de assunto várias vezes, escrevendo assuntos como esportes, nutrição e por fim, sobre cultura, por esse assunto, Moreira foi descoberto por uma produtora de teatro profissional localizada na Barra da Tijuca, onde foi convidado para fazer seu primeiro estágio, ainda cursando o ensino médio. Seis meses depois, fez um acordo para divulgar o filme ''O Grande Circo Místico'', dirigido pelo premiado diretor Cacá Diegues, que por causa de um problema, o fez renunciar a sua posição. Naquela época, Luca conhecia seus primeiros contatos com o meio profissional, como a atriz Rayssa Bratillieri, que mais tarde fez a personagem Pérola Mantovani em “Malhação – Vidas Brasileiras”. Primo dos atores Giulliana Succine e Miguel Rivas, sempre ajudou Giulliana com sua assessoria, que em dezembro de 2017, se juntou a Esdras Ribeiro, que na época possuía um conjunto de sites, onde ele começou a escrever seus primeiros assuntos como colunista. Sua primeira tentativa de escrever uma entrevista foi com o ator Pedro Carvalho, que estava no auge de sua carreira com a novela ''Escrava Mãe'', exibida pela Record TV. Seu primeiro artigo profissional foi lançado no dia 30 de janeiro de 2017, quando conheceu a atriz Malu Falangola, que estava na Rede Globo naquela época. Após uma curta temporada como o extinto ''Almanaque Mídia'', ele recebeu a infeliz notícia de que o portal estaria fechando devido a problemas de gestão. Uma semana depois, Daniel Neblina, um jornalista de Brasília que já estava o observando, o chamou para entrar no ”RegistroPOP'', onde ele teve o reconhecimento de seu trabalho decolando com artistas como Adriano Alves, Larissa Manoela, Thomaz Costa, Larissa Maciel, Sophia Abrahão e Lua Blanco. Em 11 de maio de 2018, depois de ficar mais de um ano na redação, ele já havia feito história em mais de 9 portais diferentes. Em março de 2018, iniciou sua carreira internacional, quando entrevistou a cantora americana Megan Nicole, de quem gostava desde a infância. Um tempo depois veio a atriz Violett Beane, estrela da série ''The Flash''. Cinco meses depois da entrevista com Beane, conheceu através do Facebook, a atriz Chloe Lang, que entre os anos de 2013 e 2014, interpretou a personagem Stephanie Meanswell na série infantil LazyTown, exibida pelo Discovery Kids, indo ao ar em setembro daquele ano.

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.